• Inncomun

Apenas mais um... o MEU mais um!

Um tema que sempre “cai de maduro” é falar sobre empreendedorismo. E provavelmente seriamos mais do mesmo ao falar sobre o aumento das mulheres no mercado de trabalho, e claro, no e-commerce. Diante deste quadro, a ideia hoje é ser diferente, fugir do viés tradicional, tentar não escorregar para um paradigma de ideologia de gênero e sem ousar criticar o feminismo tradicional. Queremos falar sobre o impacto da personalidade feminina no mercado de e-commerce e de marketing digital e de como elas (nós) estão aumentando cada vez mais o espaço no mercado, e claro, essa é uma visão pessoal (super pessoal, minha :D).


Lembro com muita clareza quando iniciei no mercado de trabalho, em um segmento tradicional (agronegócio), participei de uma reunião estratégica de gestores e o CFO da empresa foi categórico ao dizer “contratem mulheres, elas são dedicadas, não são a renda principal da família e não costumam reivindicar salários”. Com vinte e poucos anos, iniciando a carreira e com uma mentalidade um pouco “rebelde” naquele momento, me remexia incomodad(íssima) na cadeira e o único pensamento que me vinha em mente era: precisamos mudar essa mentalidade.


Mais de 10 anos se passaram, talvez eu não tenha tido a oportunidade de mostrar para aquele CFO que aquela triste realidade estava com os dias contados. O mundo mudou, eu cresci, continuei fazendo jus à imagem de que as mulheres trabalham direitinho, são dedicadas, mas sim, reivindiquei salários, muitas vezes, e quando isso não serviu, busquei outras oportunidades, e finalmente empreendi.


Empreender me trouxe uma visão muito mais prática da vida e do mundo dos negócios. Me trouxe a visão de que não podemos contar com o Estado, que ele mais atrapalha os negócios do que apoia, que há sim (e muita!) discriminação feminina, que por outro lado, muitas portas são abertas para as mulheres e que infelizmente, as mulheres não são levadas a sério como os homens.


Eu não sou feminista, e empreendendo, eu aprendi a ser contra muitas atitudes do feminismo tradicional. E as feministas que me perdoem, não quero ser contra e nem polemizar nada, até porque admito que muitas das conquistas que temos hoje são devidas a grandes figuras femininas ao longo da nossa história. Eu apenas resolvi seguir outra linha, a da liderança pelo exemplo, a de conquistar um espaço pela meritocracia, a de buscar ser uma mulher FODA, a de conquistar, de trabalhar duro e sim, de MERECER!


Ao longo dessa trajetória, tive a oportunidade de conhecer grandes mulheres que empreenderam e ajudam a construir essa história de merecimento e exemplo. Uma menina que criou um case no segmento de marketing digital auxiliando uma empresa a ganhar escala e aumentar suas vendas em muito mais de 4 dígitos percentuais. Uma garota FODA que mostra no dia a dia que se pode falar de sexualidade e saúde intima feminina sem tabu, trazendo a oportunidade de esclarecer questões tão íntimas e pessoais de uma forma simples e fácil. A mesma menina que decidiu empreender, criar uma identidade online e faturar em pouco tempo o que levaria para faturar em anos de atendimento em consultório. Mulheres inteligentes e muito trabalhadoras, que conseguiram quebrar (destruir) o paradigma de que uma mulher vai comprar roupas de festa (e de noiva!) pela internet, e chegar aos 7 dígitos de faturamento em pouco tempo de empresa. Meninas que não desistiram do sonho de ter sua marca própria e desenhar seus produtos, fazer e vender suas roupas, criar um e-commerce do zero, abandonando o o negócio da família, investindo seu tempo, aprendendo, crescendo, estudando, errando e principalmente, acreditando!


Muitas vezes já ouvi as pessoas dizerem que tudo isso é sorte, que essas mulheres estavam no lugar certo, ou conheceram as pessoas certas. Concordo. Ou não. Principalmente porque tem muita gente que estava no lugar, na hora certa e com a pessoa certa e simplesmente não fizeram acontecer. Eu prefiro acreditar que existe uma estrela, e ela brilha para quem quer, quem se esforça, quem trabalha e quem acredita. Não escolhi escrever um texto motivacional, não é esse meu perfil, é um texto que traduz uma maneira de pensar que acredita que atitude não se compra e não se vende, mas ela vem de dentro. Eu prefiro muito mais contratar mulheres (ou homens, ou seja lá como se intitulam, pois isso simplesmente não importa) que não sabem usar o photoshop mas têm uma vontade imensa de crescer e aprender. Conhecimento técnico se ensina, se compra, se aprende. Atitude é natural, vem de berço.


Os anos passaram, há cerca de 2 semanas eu estava visitando a agência de uma amiga, e no elevador encontro aquele CFO, sim, aquele mesmo que disse para contratar mulheres. Ele me cumprimentou contente e disse “quanto tempo não te vejo, onde tu estás trabalhando?” foi fácil responder: cansei de não ser a renda principal da família.


Nalu Dorscheid

junho/2019



30 visualizações0 comentário